Comparar Imóveis

Comparar
Só poderá comparar 4 imóveis em simultâneo. Caso adicione um novo imóvel o mesmo irá substituir o primeiro na lista de comparação.

Blog

A nova versão das tabelas de IRS para os salários

As novas tabelas de retenção na fonte do IRS foram publicadas no dia 24 de fevereiro de 2022 no Diário da República, estas alterações vão entrar em vigor a partir de março. Veja as mudanças que vão ocorrer.

 Houve uma alteração às tabelas, uma atualização dos limites dos escalões de retenção de IRS e as novas tabelas de IRS vão incidir sobre os rendimentos pagos a partir de 1 de março de 2022 onde vão permitir reforçar o ajustamento entre o imposto retido mensalmente àquele que é efetivamente devido pelos contribuintes. 

 As novas tabelas de IRS vão corresponder à situação dos trabalhadores que, em janeiro os salários tenham tido aumentos, estes ficarão a receber um valor líquido inferior ao que recebiam no ano passado pelo facto de terem avançado para um escalão de retenção mais alto.

O que muda com as novas tabelas de IRS?

Tabelas em vigor desde janeiro e aplicadas às remunerações pagas nestes primeiros dois meses do ano:

 Como por exemplo, um casal que sejam ambos titulares de rendimentos, com dois filhos, e ganhasse 1.563 euros brutos por mês, desconta 16,1% de retenção na fonte. Pela razão que por apenas um euro, ultrapassava o limite do escalão anterior onde estaria sujeito a uma taxa de 14,6%.

Com as tabelas aplicadas a partir de março:

 Este casal irá descontar 14,6% pela retenção na fonte, o limite do escalão onde incide este patamar de taxa é alargado de 1.562 euros para 1.577 euros.

 De acordo com as novas tabelas há pessoas que irão passar a reter menos cerca de 30 euros por mês, podendo haver em outras um efeito menor, este alívio da retenção vai produzir efeitos sobre as remunerações pagas entre março e dezembro, incluindo os subsídios de férias e de Natal.

 Nos últimos anos, o efeito total do ajustamento nas tabelas de retenção ascende a 600 milhões de euros.

Simulações em conta as novas tabelas de IRS

 Como por exemplo, um trabalhador solteiro, com um dependente, que obtenha um salário bruto de 1.725 euros recebia 1.219 euros líquidos em 2021, tendo passado a receber 1.221 euros a partir de janeiro, devido ao ajustamento nas tabelas de retenção na fonte de IRS que então entrou em vigor.

Com as novas tabelas de IRS, de março em diante:

  • Um trabalhador solteiro passa a receber 1.254 euros líquidos, uma subida de 34,5 euros de acordo com 2021 e de 32 euros face ao valor que recebeu nos dois primeiros meses do ano. No final do ano, a poupança em IRS ultrapassa os 350 euros.

 

  • Já um casal com dois filhos, em que ambos os elementos ganhem 2.550 euros brutos, terão um ganho mensal de 30,60 euros face ao valor que receberam em 2021 e de 25,5 euros face ao valor recebido nos dois primeiros meses deste ano. 

 

  • A poupança irá aumentar até aos 83 euros mensais para um casal com dois filhos, caso ambos ganhem 4.150 euros brutos.

 

  • No caso de um trabalhador solteiro sem dependentes que ganha 925 euros brutos vai descontar menos 11 euros de IRS a partir de março, face ao valor de janeiro e fevereiro, e menos 12 euros por comparação com 2021, devido às novas tabelas de retenção.

imagem

Simulações que contemplam aumentos de salário em 2022

As simulações do Ministério das Finanças apresentam também casos de rendimento em que o trabalhador teve um aumento salarial de 0,9% no início deste ano.

  • Um solteiro sem dependentes que em 2021 tinha um salário bruto de 998,5 euros, recebendo 774,84 líquidos, viu o seu salário bruto aumentar para 1.007 em 2022, tendo o líquido diminuído para 774,76 euros.

 

  • O líquido passa a ser de 782,82 euros, a partir de março, com uma subida de oito euros face a janeiro e fevereiro.

 

  • Tratando-se de um casal com dois filhos e em que ambos ganhavam em 2021 um salário bruto de 1.415 euros, recebendo 1.065,50 líquidos, o aumento de 0,9% fez com que o bruto subisse para os 1.427,74 euros. Porém como passaram o limite do escalão da tabela de IRS ficaram a receber líquidos 1.062,23 euros a partir de janeiro, menos três euros que no ano passado.

 

  • Porém, a partir de março, passam a descontar menos de IRS, o que permite ficarem a receber 1.076,51 euros líquidos por mês.

 

 Dentro destas simulações que apresentamos houve aumentos salariais de 0,9%, o ganho mensal é entre os seis e os 29,80 euros, dependendo dos valores de salários e perfis familiares dos contribuintes.

 

Fonte: idealista.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seja o primeiro a recerer

as novidades

ESTEJA NA LINHA DA FRENTE DO QUE POR AQUI ACONTECE!